Gastronomia em associação com a hospitalidade

Gastronomia em associação com a hospitalidade

Desde a antiguidade, as viagens sempre estiveram presentes na vida do homem. Desde a procura por novos abrigos e visitas à parentes próximos avançando para as históricas jornadas à Terra Santa, por exemplo. No passar dos séculos elas foram se aperfeiçoando, tomando novas rotas, entrando no cotidiano e se afirmando na sociedade. (FERNANDES, 2007)

O empresário inglês, Thomas Cook em 1841 fretou um trem com tarifas reduzidas para aumentar a demanda por uma viagem. Seu projeto rendeu e ele fomentou sua ideia, criando viagens em grupos. Abriu a primeira agência de viagens de todos os tempos, organizando o primeiro tour em grande escala, onde levou 500 pessoas a Leicester na Inglaterra. (FERNANDES, 2007)

Assim, se observa que a busca por viagens sempre esteve presente na vida das pessoas, impelidas a conhecer novos lugares – um fascínio pelo desconhecido (LOPES, 2006).

Porém, à medida que número de viajantes foi crescendo, novas oportunidades foram surgindo. O turismo e a gastronomia, por exemplo, selaram sua relação ao longo do século XX, quando o hábito de viajar incorporou-se no período de descanso. As férias e os meios de transporte mais eficientes fizeram com que os deslocamentos se tornassem comuns, resultando em um intenso fluxo de pessoas, circulando de um lado a outro. (COLLAÇO, 2007) A partir desse momento, as férias, o lazer e o descanso se tornaram oportunidades para se viajar e aí começou a busca por novos lugares, novas paisagens e principalmente novos sabores e culinárias. Especialmente, a gastronomia tem atraído turistas ao redor do mundo. A experiência de uma viagem não está mais ligada apenas a certo ponto turístico e sim a toda uma esfera de elementos que o compõe. Desde o momento em que se chega ao destino, o modo como o turista se conduz ao hotel, o próprio hotel, acomodações e a sua estadia. E, a procura pela comida local e outras experiências gastronômicas são significativos aspectos para uma completa experiência.

No Brasil, por exemplo, existem os festivais de comida de boteco, que se estendem pelo país inteiro. (BRF, 2016) Também por seu território ser muito bem diversificado culturalmente, assim são suas culinárias, que abrangem distintas opções de cozinha, atraindo muitos turistas ao território brasileiro. Esse setor, hoje, representa 2,7 do PIB nacional e quase 40% das visitações no país, segundo a ABRASEL (2010).

A alimentação é um fator determinante para os destinos de viagens, pois além dos fartos sabores gastronômicos disponíveis, a tradição culinária diz muito sobre a cultura do local visitado, afirma o chef Pedro Echeverria (BRF, 2016). Devido à procura pelo inusitado, as pessoas buscam a cultura do local escolhido, desejando se inteirar mais sobre as características da região, procurando se relacionar, se integrar com o que as rodeiam.

Contudo, para que tal aconteça, é necessário que hajam estruturas de apoio adequadas e atendimento que encante o viajante ou cliente. (CASTELLI, 2010, p. 13)

Então, se percebe que a hospitalidade é uma grande contribuição para esse meio, levando em conta que, a partir dela, o conforto e as estruturas de apoio se tornam cada vez mais pessoais. Isto é capaz de tornar a experiência do cliente muito mais impactante e provocar o desejo de voltar.

Sarah Mesquita Pacheco

REFERÊNCIAS

ABRASEL. Perfil da ABRASEL. 2010. Disponível em: <http://www.abrasel.com.br/a-abrasel/perfil-da-abrasel.html>. Acesso em: 15 maio 2016.

AFONSO, Patrícia. Turismo gastronômico deve crescer 8%. 9 abr. 2015. Disponível em: <http://www.publituris.pt/2015/04/09/turismo-gastronomico-deve-crescer-8>. Acesso em: 12 maio 2016.

BRF. Turismo gastronômico movimenta a economia nacional. 2016. Disponível em: <http://www.brf-foodservices.com.br/fique-por-dentro/turismo-gastronomico-movimenta-economia-nacional>. Acesso em: 12 maio 2016.

CASTELLI, Geraldo. Ô de casa. Canela: Castelli, 2010. COLLAÇO, Janine. Turismo e gastronomia: uma viagem pelos sabores do mundo. 1 nov. 2007. Disponível em: <http://www.slowfoodbrasil.com/textos/alimentacao-e-cultura/140-turismo-e-gastronomia-uma-viagem-pelos-sabores-do-mundo>. Acesso em: 12 maio 2016.

FERNANDES, Alexandre. História do turismo. 4 jun. 2007. Disponível em: <http://pt.slideshare.net/alefeufei/histria-do-turismo>. Acesso em: 12 maio 2016.

LOPES, Paulo. Os livros e viagens medievais. Medievalista. Lisboa: FCSH, ano 2, n. 2, 2006. Disponível em: <file:///Users/cleongostinski/Downloads/Dialnet-OsLivrosDeViagensMedievais-4060212.pdf>. Acesso em 15 maio 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *