Hospitalidade transcende espaços no mundo virtual

Hospitalidade transcende espaços no mundo virtual

A internet é uma clara manifestação da pós-modernidade (ALEXANDRE; NEVES, 2006). Já no ano 2000, ela era apontada como uma ferramenta de enorme potencial comercial. Previa-se que, no futuro, era ela quem determinaria a venda de passagens de aviões e quartos de hotéis, por exemplo (FECHA et al., 2005 apud Bastos; Fedrizzi, 2007, p. 1).

A incontável quantidade de sites que é encontrada hoje, referente às mais diversas áreas, corrobora esta afirmação e demonstra ainda a tendência da usabilidade da comunicação virtual nos dias atuais (ALEXANDRE; NEVES, 2006). Tendo em vista os fatos citados, é fácil perceber a necessidade da hospitalidade no ambiente virtual.

Atualmente, ao invés de locomover-se à uma agência de viagens com sede física, turistas optam pelas OTAs – agências de turismo online. Para o viajante, usar a internet traz mais benefícios em termos de consulta de preço e comparações rápidas (VINCENTIN; HOPPEN, 2003 apud Oliveira; Silva, 2011, p. 36).

Para que o crescimento das vendas online seja aproveitado ao máximo, é preciso que as empresas consigam fazer com que o hóspede potencial sinta-se bem acolhido desde o momento em que visita a OTA ou o próprio site do hotel.

Da porta principal (home), o visitante entra no ambiente que lhe parece hospitaleiro e segue abrindo as portas (links) internas da casa. A cada link cria-se a expectativa de um ambiente mais hospitaleiro. O visitante então pode decidir sua permanência pelo tempo que desejar, desde que a hospitalidade […] permaneça criando empatia. (ROSOLINO, 2006)

No momento em que o hóspede potencial sente-se acolhido o suficiente pelo site, chega a hora da reserva e, com ela, muitas trocas de e-mails.

Para que essa etapa do processo também esbanje hospitalidade, Camargo (2003) sugere a “net-etiqueta”. Seguindo as normas da etiqueta online, a troca de mensagens entre anfitrião e futuro hóspede serão requintadas, cordiais e atrativas (CAMARGO, 2003 apud Alexandre; Neves, 2006, p. 6).

No momento em que existe troca de mensagens eletrônicas, é preciso que tanto o hóspede quanto o hoteleiro sejam hospitaleiros. Por tal motivo, é importante entender a ubiquidade. Entende-se por ubiquidade, a situação em que o emissor e o receptor da mensagem são ambos anfitrião e visitante (CAMARGO, 2004 apud Rosolino, 2006).

É possível entender, portanto, que em um mundo no qual as pessoas vivem cada vez mais apressadas, a necessidade da hospitalidade online é fundamental. Existem dois momentos cruciais para tal hospitalidade: a primeira impressão sobre o site do hotel ou da agência e a troca de mensagens entre o possível futuro hóspede e o hoteleiro.

Para que sempre exista sucesso no ambiente virtual, é interessante apostar em novos tipos de profissionais, como o webdesigner, por exemplo, para criar um “ambiente que seja atraente visualmente na forma e conteúdo” (ROSOLINO, 2006), além de capacitar os colaboradores da reserva, para que eles sejam capazes de acolher os hóspedes antes mesmo deles entrarem nas dependências do hotel.

A internet é uma ferramenta que pode influenciar muito o rumo das vendas. É imprescindível saber usa-la.

Mônica Villas Bôas

A internet é uma ferramenta que pode influenciar muito o rumo das vendas. É imprescindível saber usa-la.

REFERÊNCIAS

BASTOS, Sênia Regina; FEDRIZZI, Valéria Luiza Ferreira. Domínios, sentidos e significados da hospitalidade: um estudo exploratório via internet. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO. 2007, Santos: Intercom, 2007. Disponível em: <http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2007/resumos/R0808-1.pdf>. Acesso em: 27 maio 2016.

IMAGENS LIVRES. [Email marketing pessoa envia correio virtual]. [s.d.], il color. Disponível em: <http://www.imagenslivres.com/email-marketing-pessoa-envia-correio-virtual>. Acesso em: 31 maio 2016.

NEVES, Ronaldo Mendes; ALEXANDRE, Mauro Lemuel. Consumo da hospitalidade na hiper realidade pós-moderna. III Congresso Virtual Brasileiro de Administração. 24 a 26 nov. 2006. Disponível em: <http://www.convibra.org/2006/artigos/47_pdf.pdf>.  Acesso em: 21 maio 2016.

OLIVEIRA, Elizabeth Wood Moçato de; SILVA, Giane Reis. A influência do uso da internet nas agências de viagens das principais cidades do eixo Londrina-Apucarana. Colloquium Humanarum.   São Paulo, v. 8, n. 2, 2011. Disponível em: <http://revistas.unoeste.br/revistas/ojs/index.php/ch/article/view/432/637>. Acesso em: 27 maio 2016.

ROSOLINO, Maria José. Hospitalidade virtual: pode entrar que a home é sua! 2006. Disponível em: <http://www.pluricom.com.br/forum/hospitalidade-virtual-br-pode-entrar-que-a-i-home>. Acesso em: 27 maio 2016.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.