Impressão 3D na gastronomia: contribuição para a melhor hospitalidade

Impressão 3D na gastronomia: contribuição para a melhor hospitalidade

Segundo a ISO 9000 (ABNT, 2005), eficácia e eficiência são requisitos para qualidade. Na produção de protótipos, a impressão 3D (ou prototipagem rápida) procura oferecer ambos. O recurso de prototipagem rápida permite a criação de objetos, com rapidez e precisão, a partir de modelos 3D virtuais e sem a necessidade de manufatura prévia. É um recurso que, segundo Celani e Bertho (2007), auxilia na criação para setores como engenharia mecânica e arquitetura, permitindo a percepção de erros de projeto e possíveis falhas, assim como detalhes estéticos, antes da produção real do produto ou da construção. Mas é possível utilizar esse recurso na gastronomia?

Algumas empresas estão lançando no mercado alguns tipos de impressora 3D de alimentos, onde o operador coloca os ingredientes frescos em tubos, que possuem bicos similares aos das impressoras 3D de camada sobreposta. Segundo a Natural Machines (2014), utilizando esse equipamento, é possível criar alimentos de formas diversas e complexas, assim como pães crus e massas recheadas frescas em poucos minutos. Segundo Koenig (2016), alguns chefs de alta gastronomia já fazem a decoração dos pratos com impressoras 3D de alimentos. E, de acordo com

Dabague (2014), a impressão 3D já é utilizada na fabricação de chocolates, pois dispensa a utilização de ferramentas de moldagem, simplesmente imprimindo o chocolate com camadas sobrepostas. Isso demonstra uma tendência de automação no setor gastronômico, que é essencialmente artesanal, onde um cozinheiro pode operar mais de uma impressora e fazer vários pratos ao mesmo tempo.

Considerando Castelli (2010) na perspectiva da hospitalidade, um bom estabelecimento deve oferecer tanto atributos básicos, como esperados (o que está dentro da expectativa prévia do cliente) e desejados (aquilo que não é esperado, mas é desejado, e quando oferecido, é apreciado), mas principalmente os inesperados. Os atributos inesperados são algo que o cliente não conta e não deseja previamente, mas que uma vez oferecidos, tornam a experiência algo marcante positivamente. Seria a decoração e produção de alimentos, hoje em dia, um atributo inesperado, fornecendo alimentos em formatos diferentes e extraordinários?

Winston Shoso Chiba

REFERÊNCIAS

ABNT. ISO 9000. ABNT: Rio de Janeiro, 2005. Disponível em: <https://qualidadeuniso.files.wordpress.com/2012/09/nbr-iso-9000-2005.pdf>. Acesso em: 15 maio 2016.

BBC. The specialised machines can print anything from mashed potato to chocolate. [s. d.], il. color. Disponível em: <http://www.the-star.co.ke/news/2016/03/01/video-how-3d-printing-is-shaking-up-high-end-dining_c1304830>. Acesso em 15 maio 2016.

CELANI, Gabriela; BERTHO, Beatriz Carra. A prototipagem rápida no processo de produção de maquetes de arquitetura. Curitiba: UNICAMP, 2007. Disponível em: <http://www.fec.unicamp.br/~lapac/papers/celani-bertho-2007.pdf>. Acesso em: 13 maio 2016.

DABAGUE, Leonardo Augusto Moraes. O processo de inovação no segmento de impressoras 3D. Curitiba: UFPR, 2014. Disponível em: <http://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/37115/MONOGRAFIA19-2014-1.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 13 maio 2016. KOENIG, Neil. How 3D printing is shaking up high end dining. 01 mar. 2016. Disponível em: <http://www.bbc.com/news/business-35631265>. Acesso em: 13 maio 2016.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.