O papel das cores na hospitalidade virtual

O papel das cores na hospitalidade virtual

Desde a virada do milênio, o fácil acesso à informação e à tecnologia fizeram com que vários tipos de negócios migrassem e se adaptassem ao mundo virtual. Para Goldenberg, Pinotti e Wada (2015), isso aconteceu porque a classe média cresceu consideravelmente nos últimos anos e conseguiu acesso a bens que não podiam comprar antes, como um computador, quartos de hotéis e passagens de avião. Empresas de diversos ramos tiveram, portanto, que se adequar a nova realidade, levando seus serviços ao ambiente virtual.

No momento em que todas as empresas têm versões online, é preciso de um diferencial competitivo para haver destaque e sucesso nas vendas. A hospitalidade é um fator que pode ser decisivo nesse momento. Pensando nisso, Goldenberg, Pinotti e Wada (2015 , p. 5) realizaram uma pesquisa para entender “de que forma a comunicação facilita a relação de hospitalidade que ocorre entre uma empresa e seus clientes, com consequente geração de vantagem competitiva”. Elas escolheram quatro OTA’s (Agências de Viagem Online) e analisaram diversos aspectos no formato dos seus sites que poderiam ou não contribuir com a hospitalidade da plataforma. As OTA’s escolhidas foram: Vai Voando, CVC, Rapi10 e Entrontre sua Viagem.

Um dos aspectos analisados foram as cores utilizadas nos sites. Na hora de vender um produto, a cor assume um papel de extrema importância uma vez que tem a capacidade de influenciar nas escolhas do cliente. De acordo com Battistela, Colombo e Abreu (2010) elas estimulam e direcionam um público-alvo ao produto ao qual eles são destinados. As cores primárias, por exemplo, atraem mais os jovens e os tons pastéis chamam a atenção da terceira idade. É preciso entender como usar as cores para fazer com que o público desejado sinta-se acolhido até mesmo no ambiente virtual. Uma comunicação que se preocupa em transmitir ideias, emoções e, principalmente, em interferir nos desejos e vontades de quem lhe interessa, não deve escolher as cores de forma arbitrária ou pautada apenas nas sensações estéticas, pois as cores fazem parte da imagem dos produtos e da marca. (MODANEZ; GIULIANI, 2007, p.2).

É importante analisar também as crenças populares relacionadas ao significado das cores. O amarelo, por exemplo, remete ao calor e à hospitalidade nas culturas ocidentais (CANHA, 2012). Além disso, também existem combinações de cores que devem ser analisadas. Cores como preto e ouro remetem ao requinte e à serviços premium enquanto amarelo e vermelho remetem a valores promocionais. (BATTISTELA; COLOMBO; ABREU, 2010)

Ao analisar os websites das OTA’s estudadas, é possível perceber que azul é a cor predomintante, seguido pelo amarelo. Azul é, de acordo com a psicologia das cores, uma cor fria, independente das outras cores que a acompanham (BATTISTELA; COLOMBO; ABREU, 2010) e muitas vezes é associada à natureza, principalmente à praias e ao céu (MODANEZ, GIULIANI, 2007). O amarelo, além de representar a hospitalidade (CANHA, 2012), remete à expectativa e ao impulso. Ambas as cores fazem sentido no ambiente dos sites, uma vez que o azul está ligado ao céu, que, por sua vez, está ligado às passagens de avião que estão sendo vendidas. Já o amarelo representa a hospitalidade, que deve ser prioridade para empresas prestadoras de serviço.

No entanto, é possível que as quatro empresas aprofundem ainda mais as cores usadas nos sites. Ao entrar em qualquer um dos sites e procurar passagens para diversos tipos de destinos (praia, cidade, serra) as cores não mudam. Ao entrar no site da CVC e procurar passagens de São Paulo para Paris, azul continua sendo a cor predominante. Como mencionado anteriormente, azul é uma cor que remete à natureza. Seria interessante, então, usar tonalidades de cinza, uma vez que a cor representa seriedade, sabedoria, passado (BARBOSA, BAZZANI, FAGANELLO, 2015), aspectos correspondentes a uma cidade histórica como a capital francesa. Ao iniciar um negócio online é imprescindível, portanto, analisar muito bem o design do site e estudar a psicologia das cores envolvidas. Quando um hóspede entra em um hotel, por exemplo, a cor da decoração é uma parte importante da opinião que ele  formará acerca do lugar. A cor azul é sempre associada ao frio (CHANHA, 2012), então ir a um lugar de temperaturas baixas com a decoração azul não será acolhedor e hospitaleiro, pois aumentará a sensação de frio, deixando o cliente desconfortável. Essa percepção deve estar presente também na internet. A cor é, afinal, um elemento decisivo na tomada de decisões (MONDANEZ; GIULIANI, 2007, p. 1) e deve-se tomar muito cuidado para que ela não vire um mero coadjuvante no ambiente virtual.

Mônica Villas Bôas

REFERÊNCIAS

BARBOSA, Lorraine Korczagin; BAZZANI, Maria Luiza; FAGANELLO, Giulia. Teoria das cores na comunicação e no marketing: análise da divulgação dos produtos da empresa Quem Disse, Berenice?. Curitiba: UFP, 2015. Disponível em: <http://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/41852/TEORIA%20DAS% 20CORES%20NA%20COMUNICACAO%20E%20NO%20MARKETING%20%20 ANALISE%20DA%20DIVULGACAO%20DOS%20PRODUTOS%20DA%20EMPR ESA%20QUEM%20DISSE%20BERENICE.pdf?sequence=1>. Acesso em: 10 jun. 2016.

BATTISTELLA, Natalie; COLOMBO, Joana Ribeiro; ABREU, Karen Cristina Kraemer. A importância da cor nas embalagens como fator influenciador no momento da compra. São Leopoldo: Unisinos, 2010. Disponível em: <http://chile.unisinos.br/pag/bocc-kraemer-embalagens.pdf>. Acesso em: 9 jun. 2016.

CANHA. A cor e seus significados culturais. 2012. Disponível e: <http://design.blog.br/design-grafico/a-cor-e-seus-significados-culturais>. Acesso em: 9 jun. 2016.

GOLDENBERG, Cintia; PINOTTI, Rita; WADA, Elizabeth Kyoko. Hospitalidade e comunicação dirigida à nova classe média: análise de websites de quatro empresas de serviços turísticos. In:   SEMINÁRIO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM TURISMO. Anais. São Paulo, 2015. Disponível em: <http://www.anptur.org.br/anptur/anais/v.11/DHT1_pdf/74.pdf>. Acesso em: 9 jun. 2016.

MODANEZ, Patricia Sawa de Campos; GIULIANI, Antonio Carlos.  Cor e sua influência na decisão de compra: análise em bens de consumo com venda direta. V Mostra Acadêmica UNIMEP. 23 a 25 out. 2007. Disponível em: <http://www.unimep.br/phpg/mostraacademica/anais/5mostra/backup/5/61.pdf>. Acesso em: 9 jun. 2016.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.