Tradição e inovação na gastronomia pós-moderna

Tradição e inovação na gastronomia pós-moderna

Se alimentar é algo comum, sobretudo é um processo cultural único em cada região do planeta e inerente à hospitalidade de quem se propõe a alimentar. A comida de um lugar tem sua própria tradição e sua própria história, criada com erros e acertos de receitas, desenvolvidas e disseminadas na cultura local ao longo do tempo. É um dos fatores que fornece identidade a uma determinada localidade. É o caso das culinárias italiana – com pratos como a lasanha e a pizza  e a rio-grandense – com o churrasco e o arroz de carreteiro.

Muller, Amaral e Remor (2010) definem gastronomia típica como uma junção de saberes e sabores obtidos através dos alimentos e bebidas e das práticas de serviços que fazem ou fizeram parte dos hábitos alimentares de uma localidade, dentro de um processo único de construção histórico-cultural.

No entanto, numa era pós-moderna (CONNOR, 1989) com a revisão de vários paradigmas e até de leis da física, é possível reinventar a gastronomia típica de um local ou a manutenção da tradição é mais importante?

Fagliari (2005) apud Muller, Amaral e Remor (2010) apontam que pratos e produtos típicos são elementos que podem ser facilmente trabalhados de forma a se tornarem atrativos turísticos. Estes elementos são utilizados pelo turismo cultural que demonstra interesse em melhorar a ‘experiência local’ vivida pelos turistas, através das peculiaridades locais. Ou seja, a manutenção da culinária típica regional é importante, não só culturalmente, mas também economicamente.

No entanto, considerando a evolução da alimentação ao longo dos anos, é inconsistente afirmar que a culinária típica deve ser preservada como uma forma de manter a tradição. Essa culinária evolui e se altera automaticamente, assim como já evoluiu durante sua existência. Assim como o comer, a comida e os alimentos estão sendo reinterpretados, reinventados, sendo alguns excluídos outros re-introduzidos e outros ainda sendo transformados a fim de se adequar a esta nova ordem corporal e alimentar. Por outro lado, corre em paralelo, a reinvenção das tradições alimentares na busca de afirmação de identidades, mas também estimuladas pelos investimentos turísticos produzindo ícones alimentares. (SANTOS, 2008, p. 239)

Existem restaurantes que estão inovando e reinventando a culinária típica de sua localidade, como o Osteria Francescana na Itália. Estes restaurantes buscam a inovação associada à preservação da cultura local. Essas inovações trazem novos sabores e novas características à uma culinária já apreciada e os estabelecimentos inovadores vêm sendo apreciados. É o caso do Osteria, que está listado como o segundo melhor restaurante do mundo pelo guia The World’s 50 Best Restaurants (2015), assim como o Noma, que é o terceiro colocado. O Osteria apresenta versões completamente diferentes de pratos tradicionais na Itália, como a lasanha e a sopa de tortellini. Já o Noma traz à tona uma culinária inusitada para muitas pessoas, que é a cozinha escandinava. Estes estabelecimentos, junto com sua apreciação na crítica mundial, comprovam que é sim possível inovar a culinária típica regional, evoluindo e trazendo experiências novas aos clientes. A culinária faz parte do patrimônio cultural de um local, mas os hábitos alimentares das pessoas mudam e a culinária se transforma e evolui, atingindo patamares mais altos, sem perder as raízes.

Winston Shoso Chiba

REFERÊNCIAS

CONNOR, Cultura pós-moderna: introdução às teorias do contemporâneo. São Paulo: Loyola, 1993.

MULLER, Silvana Graudenz; AMARAL, Fabiana Mortimer; REMOR, Carlos Augusto.  Alimentação e cultura: preservação da gastronomia tradicional. Caxias do Sul: UCS, 2010. Disponível em: <http://www.ucs.br/ucs/tplVSeminTur%20/eventos/seminarios_semintur/semin_tur_6/gt13/arquivos/13/Alimentacao%20e%20Cultura%20Preservacao%20da%20Gastronomia%20Tradicional.pdf>. Acesso em: 26 maio 2016. SANTOS, Ligia Amparo da Silva. Sobre a reinvenção da comida, da alimentação e dos alimentos. In: O corpo, o comer e a comida: um estudo sobre as práticas corporais e alimentares no mundo contemporâneo. Salvador: EDUFBA, 2008. Disponível em: <http://docplayer.com.br/4303825-Capitulo-vi-sobre-a-reinvencao-da-comida-da-alimentacao-e-dos-alimentos-ligia-amparo-da-silva-santos.html>.  Acesso em: 26 maio 2016.

THE WORLD’S 50 Best Restaurants 1-50. 2015. Disponível em: <http://www.theworlds50best.com/list/1-50-winners>. Acesso em: 26 mai. 2016.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.